Com muitas empresas do canal Horeca a enfrentar dificuldades por ausência de faturação desde 22 de maio, a AHRESP decidiu propor um programa de capitalização ao governo. O objetivo é permitir liquidez nas tesourarias das empresas destes setores.

As soluções de apoio disponibilizadas pelo Governo, à exceção do lay off simplificado, basearam-se em moratórias, pagamentos faseados, e concessão de créditos, que apenas criaram mais endividamento, para um futuro próximo. De forma a permitir a recuperação do setor, que garante mais de 320 mil postos de trabalho, com impacto em mais de um milhão de habitantes, o programa tem 11 medidas para ajudar a enfrentar os próximos tempos.

As principais medidas apontam para um regime especial de Lay Off simplificado, para a aplicação da taxa reduzida de IVA nos serviços de alimentação e bebidas, para a isenção da TSU a cargo das empresas, para a redução das rendas não habitacionais, entre outras.

A AHRESP considera ser previsível que a retoma destas atividades ocorra num período longo, e que atendendo às várias restrições presentes, as empresas do Canal HORECA não terão a sua viabilidade assegurada”, comunica.

 A AHRESP é a associação empresarial na defesa e representação das empresas de restauração, hotéis, cantinas, pastelarias, padarias, casinos, discotecas, indústria e comércio alimentar, parques de campismo, alojamento local, entre outros. Atualmente conta com 13 delegações, prevendo-se a existência de uma delegação por distrito, objetivo que deverá ser cumprido entre 2020 e 2021.


PUBLICIDADE

A não perder!

PUBLICIDADE